Radio Grooveshark

sexta-feira, 1 de março de 2013

Lágrimas derradeiras



Lágrimas derradeiras

As lágrimas duras e frias
que hoje derramo
são mágoas,
tristezas e decepções,
durante anos acumuladas...
Amargas lembranças
de uma paixão
que um dia me
trouxe esperança,
mas que,
neste momento,
não passam de sonho que acabou
de ilusão que passou.
As lágrimas
que hoje derramo
são dores vividas
em tantas noites escuras,
sem dormir...
Tristezas sentidas
em dias sem sorrir...
Foram tantas desilusões
causadas por um amor,
que achei que me traria paz
alegrias...
Mas que hoje o sinto,
como simples fantasia
de um coração solitário,
que se entregou assim
sem perguntas...
sem respostas...
Apenas se entregou.
E hoje,
incapaz de continuar a sonhar,
de acreditar...
chora,
derrama seu pranto.
São lágrimas
de sangue
de um coração exangue...
São derradeiras
essas lágrimas,
já não as tenho mais.
Meus olhos secaram...
Meu coração se endureceu...
Minha boca emudeceu...
Minha poesia morreu
e assim,
triste, mas decidida,
despeço-me,
da minha vida fútil.
Inexistência...
insistência
inútil
deste meu caminhar.

Sandra L. Felix de Freitas®


30/01/2005.