Radio Grooveshark

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Relações tóxicas

Relações tóxicas



Eu sempre fui da opinião que até mesmo um assassino monstruoso deve ter algo bom na alma. E com essa fé fui vivendo... 
Muitas vezes, desiludida, procurava na pessoa que tinha me decepcionado, algo de bom, que se pudesse aproveitar, ou uma justificativa para suas ações.
Mas com o passar do tempo fui descobrindo que existem pessoas que simplesmente são más. Seu nível de crueldade é tão elevado que nos custa a acreditar... 
E é só quando a gente leva a quarta ou décima paulada é que percebemos que este tipo de gente nasceu com um (ou mais) defeito no caráter. São pessoas que não sentem culpa, não possuem empatia e só se mostram bons e generosos quando estão à caça da próxima vítima. Esse tipo de pessoa só pensa em si mesmo. Sempre elege alguém para ser responsável por seu sofrimento e passam anos a fio desfiando o mesmo rosário... Em momento algum são capazes de lembrar que os fatos que lhe desagradaram foram reações à atitudes delas mesmas.
Esses indivíduos tem mais uma característica: "vampirizam" o companheiro. Sugam-lhe toda a energia, a alegria e a auto-estima. 
Não importa quantas decepções você precisou passar para reconhecer que você vive uma "relação doentia" com alguém portador de uma doença que não tem cura. Ainda não inventaram cápsulas de moral, ética, bondade, simpatia desinteressada, empatia, generosidade e amor ao próximo. Sempre haverá tempo de sair dessa relação e reconstruir tudo: vida, auto-estima, finanças e até amar novamente! Não é vergonhoso pedir ajuda. Psicólogos existem para isso mesmo!

Quanto a mim, hoje, mais tranquila e serena, vejo que preciso me afastar de todas as pessoas que possuem esse perfil! 



E assim, irei caminhando em busca de minha paz de espírito, minha serenidade e motivos pra liberar as minhas sonoras e sinceras gargalhadas!

#sandrafreitas