Radio Grooveshark

quinta-feira, 7 de março de 2013

Sou Mulher!



Sou Mulher!


Sou mulher,
mas a despeito
de todas as vitórias
conquistadas
às duras penas,
não me sinto plena
meu ego
ainda encontra-se
insatisfeito.
Não me basta
carta de alforria.
Não me é suficiente
poder estudar
ou ser livre (obrigada)
para votar...

Sou mulher,
quero,
exijo
respeito
à minha individualidade.
Quero trabalhar
em condições de igualdade.
Não quero ser vista
apenas como vagina
útero e mamas -
como a semente de fertilidade,
ou como fonte de alimento
ao rebento.

Sou mulher
e quero ser
dona da minha vida,
do meu próprio corpo.
Quero poder escolher
o sexo que gosto
quantos filhos
eu vou querer,
e com quem
os quero fazer.
E se filhos eu tiver,
quero amamentar
não por culpa
ou obrigação,
mas por amor e prazer.


Quero
ser dirigida
tão somente
por minha vontade,
minha consciência
e meu poder de decisão.
Sou gente,
tenho alma e coração.
Sou suficientemente
racional
para pensar e refletir.
Não preciso que tomem
decisões por mim.
Quero ser livre
para ir e vir.

Sou mulher!

Sandra L. Felix de Freitas