Radio Grooveshark

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Apenas Borrões



Apenas Borrões


Sinto-me seca,
completamente esvaziada...
Tinha tanta coisa a te dizer,
e não consigo falar mais nada.
Até sonhei com esse dia
em que lançaria sobre ti
todo o amor que guardei.
Mas minhas palavras,
por tempo acumuladas
neste vil segredo,
morreram-me
na garganta.

Agora, sem esperanças,
restam-me apenas lembranças,
antigas e ofuscadas,
do louco amor que vivi,
ao lançar os olhos
para esse velho papel,
onde, um antigo poema
eu te escrevi,
mas por receio,
por tanto tempo
escondi.

Chorei copiosamente
derramei lágrimas de sangue,
e a tinta com que o poema
eu tinha rabiscado
misturou-se às lágrimas...
E neste borrão
formou-se um coração
sofrido,
infeliz
por ter perdido
esses versos
que um dia
te fiz...

Sandra L. Felix de Freitas®
2005